+55 (34) 8400-3713 info@clinicabremen.com

Finasteride

Nome comercial (Propecia 1mg). Aprovado pelo FDA (Food and Drug Administration)

Inicialmente este medicamento era e continua a ser utilizado para o tratamento da hiperplasia prostática benigna (BPH) em concentrações de 5 mg sob o nome de proscar. No tratamento observou-se que um dos efeitos colaterais foi o aumento de pelos e a diminuição da queda de cabelo, além de outros com menor efeito. Verificou-se que em concentrações de 1 mg, foram obtidos os mesmos benefícios.
Sabe-se que a alopecia androgênica é um processo de miniaturização e enfraquecimento progressivo do cabelo, causado pela sensibilidade à ação do hormônio DHT (dihidrotestosterona) no folículo piloso. DHT é um subproduto da testosterona, que está presente em todos os seres humanos. Para ter DHT no corpo, a testosterona deve ser convertida através de uma reação química, e essa transformação requer a ajuda da enzima 5-alfa redutase tipo II.
O uso de finasterida no tratamento da calvície androgênica vem do fato de que esta droga inibe seletivamente a enzima 5-alfa redutase tipo II, diminuindo a quantidade de DHT no organismo disponível. Com isso, é teoricamente possível interromper o processo de perda de cabelo e miniaturização. A inibição da enzima não ocorre em 100%, mas é possível estabilizar a calvície na maioria dos casos.
Em um estudo, verificou-se que este medicamento é eficaz em 83% dos pacientes, retardando o processo progressivo de calvície.

Efeitos Secundários

Os efeitos colaterais da droga ocorrem com maior frequência apenas durante o uso da medicação. Portanto, na retirada do tratamento por 6 meses ou mais, o cabelo cairá novamente. Se os pacientes experimentarem algum tipo de efeito colateral, provavelmente também desaparecerão quando pararem de tomar a medicação.
Os efeitos colaterais geralmente estão relacionados à libido sexual, como diminuição do desejo sexual, diminuição da contagem de espermatozóides ou baixo volume de sêmen ejaculado. Esses efeitos ocorrem em uma pequena porcentagem nos homens e suspeitam que exista um forte componente emocional envolvido, já que em estudos científicos, 1,8% dos homens que tomaram finasterida reclamaram de diminuição da libido, enquanto 1,3% dos que usaram o placebo reclamaram disso. De qualquer forma, a mudança na libido parece diminuir com a continuação do tratamento e desaparece completamente após a interrupção.
Normalmente, o paciente começa a notar os efeitos benéficos no cabelo após 4 a 6 meses de tratamento. Primeiro, ocorre uma perda de cabelo, depois há um aumento na densidade capilar. Com aproximadamente um ano de tratamento contínuo e diário, o paciente atinge a densidade capilar máxima e depois entra na fase de manutenção dos resultados.
Ressaltamos que a consulta médica é vital antes de iniciar o tratamento com finasterida. Somente o médico, através de um exame clínico detalhado e às vezes com a ajuda de uma análise, pode avaliar seu caso e determinar se a finasterida é uma opção para você.
A finasterida atua na raiz do problema, pois inibe a produção da enzima 5-alfa-redutase (tipo II) fazendo com que a testosterona não seja transformada em diidrotestosterona. Aproximadamente seis meses de tratamento são necessários para começar a ver os resultados.