Contacto
Av. Nicomedes Alves dos Santos, 400 - Morada da Colina, Uberlândia - MG
info@clinicabremen.com
Tel: +55 (34) 98400-3713

Alopecia areata

A alopecia areata é uma doença dermatológica que causa queda de cabelo, é um distúrbio auto-imune caracterizado por queda de cabelo transitória e não cicatrizante e preservação do folículo piloso. Pode aparecer em qualquer idade e não tem distinção de sexo ou raça, apesar de algumas pesquisas relatarem uma leve predominância das mulheres.

Caracteriza-se por um aumento no número de folículos catágenos e telógenos. A alopecia areata afeta quase 2% da população em geral em algum momento de suas vidas.

Como ocorrem os alopecia areata afetam?

A alopecia areata geralmente afeta o couro cabeludo, sobrancelhas, cílios ou em qualquer lugar onde haja cabelo, incluindo a área púbica.

A queda do cabelo pode assumir muitas formas, desde a perda em manchas bem definidas até a queda difusa ou total do cabelo. Tem uma evolução imprevisível e variável nos pacientes.

A forma mais comum é a queda de cabelo isolada e assintomática de um retalho circunscrito, geralmente no couro cabeludo, com recrescimento dentro de poucos meses.
Esta forma benigna pode evoluir gradualmente para formas mais severas, às vezes atingindo a alopecia areata universal.

Em muitos casos, há algum envolvimento dos pregos, furos, cavidades, aumento da friabilidade ou desprendimento.

A ruptura do privilégio imunológico do folículo piloso é considerada um fator importante nos areata alopecia, geralmente diagnosticada com base em manifestações clínicas, mas a dermatoscopia e a histopatologia podem ser úteis.

alopecia areata

Tratamento para a alopecia areata

A alopecia areata é difícil de tratar clinicamente, mas os recentes avanços na compreensão dos mecanismos moleculares revelaram novos tratamentos e a possibilidade de remissão num futuro próximo.

Atualmente pode ser tratado com corticosteróides intralesionais, imunoterapia tópica ou sistêmica, antralina, minoxidil e fotochemoterapia.

Há estudos que relatam a imunoterapia tópica (dinitroclorobenzeno, difenilciclopropenona ou ácido dibutilester esquárico) como uma das opções mais eficazes.
Os medicamentos para combater a alopecia areata têm a função de eliminar a inflamação, prevenir a queda de cabelo e controlar os sintomas da alopecia, é importante ter sob controle clínico os possíveis efeitos colaterais que podem causar.

Também a aplicação de corticosteróides intralesionais, tópicos ou sistêmicos (acetonida fluocinolona, acetonida triamcinolona, dexametasona, propionato de clobetasol, metilprednisolona e outros).

Apesar das várias opções de tratamento para a alopecia areata, cada paciente pode responder diferentemente a ambas as drogas, a resposta a qualquer droga pode depender de um conjunto de fatores.

– Idade do início da alopecia.
– A idade do paciente.
– História da família.

Alopecia areata em crianças

Como mencionamos no início, a alopecia areata é uma doença capilar cada vez mais comum. O sofrimento da alopecia areata em idade precoce pode causar efeitos emocionais significativos em crianças e adultos.

A queda de cabelo em crianças pode ter sérios efeitos psicológicos devido ao efeito cosmético que pode causar, as crianças podem ter complicações em seu estágio de desenvolvimento. Provocando baixa auto-estima, ansiedade e depressão em crianças.

A apresentação mais comum da alopecia em crianças é o pêssego ou manchas de alopecia de cor de carne no couro cabeludo com padrões ovais, redondos, lancetados ou reticulares.

O médico especialista deve comunicar aos pacientes a natureza imprevisível da doença, a incerteza de sua evolução, assim como os tratamentos atualmente disponíveis.
As crianças com alopecia areata têm mais problemas psicológicos, ansiedade e depressão, elas são mais retraídas. Eles também têm problemas nas relações sociais e na atenção.
As meninas com alopecia areata parecem ser mais afetadas nas dimensões de problemas totais, ansiedade, depressão e síndromes internalizantes e externalizantes.

 

 

Abrir chat